segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

Adoro-te


No final da tarde, quando anoitece, uma fecunda angústia em mim permanece, germinando uma triste melodia em prece, dizendo adeus ao que esvaece. Me encanta teu sorriso, teus gestos, teu corpo que me leva aos anseios, teus olhos que desmoronam minha estrutura. Adoro tua ausência quando busca na fronte um sonho, me encanta essa distância, que a faz estrela de uma constelação de desejos. Adoro tuas intensas lágrimas quando na verdade orvalha a alma por ser mulher. Adoro suas ameaças, se sucumbindo aos prazeres de ser sempre reconquistada, me encanta sua entrega, quando nos olhos manifesta, o que na voz nao se diz nada.  Adoro ser metade e me completar em voce, ser a extensão de sua existência aos deleites de teus êxtases em carnal possessão, me encanta tua força na mais divina esperança, ser seu homem quando, na verdade me vejo menino, diante da imarcecível flor que tu és. Adoro a síntese da eternidade, pra que eu possa te amar e te adorar assim, Pra sempre...

3 comentários:

Unknown disse...

LINDÍSSIMA POESIA! fASCINANTE SENSUALIDADE..
esperancavaz.zip.net

Hope disse...

Interessante!Nunca entrei no meu blog pelo google, hoje deu vontade, e me deparei com esse comentário, obrigada!Estou lendo o que escreveu é lindo e intenso, vou navegar mais em sua página...boa e linda noite

Hope disse...

Lindo, lindíssimo